Alergia ao calor – o que é e o que fazer

21 jul, 2022 | Dr. André Aguiar Gauderer | No Comments

Alergia ao calor – o que é e o que fazer

Sintomas de alergia ao calor

Para falar sobre alergia ao calor, queria contar um caso dos Estados Unidos para vocês. Como temos visto, no últimos dias, tanto em alguns estados do país norteamericano como na Europa, as ondas de calor extremo, vamos entender o que essas mudanças bruscas podem provocar na nossa saúde.

Sumário

Carrie Schmitt vivia em Ohio, nos Estados Unidos, até 2003. Em um dia quente, ela saiu para passear com o filho e sentiu que suas pernas haviam começado a inchar. Então, a reação seguiu até que ela ligasse para a emergência e fosse levada a um hospital por causa do choque anafilático. Depois de meses e vários testes, os médicos chegaram a um diagnóstico: Carrie tinha alergia ao calor. “Foi como a morte”, contou ela à agência de notícias “BBC”.

O caso de Carrie chamou atenção por ser muito severo. Afinal, ela não conseguia subir escadas ou fazer movimentos rápidos sem que seu corpo entrasse em choque. A solução foi uma alteração radical de vida, que incluiu uma mudança de Ohio, onde as temperaturas chegam a 38ºC no verão, para Seattle, onde as médias não passam de 21ºC.

A alergia ao calor é pouco falada, mas pode representar um risco de morte nos casos mais graves. Então, vamos falar sobre essa condição, entender como identificá-la e conhecer algumas formas de tratamento?

O que é a alergia ao calor?

O que as pessoas costumam chamar de alergia ao calor recebe, na verdade tem o nome de urticária colinérgica. Ao contrário do que muitos imaginam, o que causa essa reação não é a temperatura quente, mas os efeitos que ela pode ter sobre o corpo.

Quando a temperatura do nosso corpo se eleva muito, nós liberamos suor que, por sua vez, contém acetilcolina. O que acontece, nos casos das pessoas que possuem a alergia do calor, é a alergia à acetilcolina.

O próprio suor pode ser um causador, sobretudo quando combinado com algum tipo de tecido ou bijuteria. A urticária colinérgica causa pequenos caroços vermelhos, que podem aparecer em diversas partes do nosso corpo, mas são mais comuns nas costas e na região do pescoço.

Alergia ao calor x brotoeja

Há duas condições principais que podem causar alergias relacionadas ao calor: a brotoeja (ou miliária) e a urticária colinérgica. A primeira ocorre mais em bebês, crianças e idosos, surgindo quando as glândulas sudoríparas são obstruídas na tentativa de liberar suor e aparecem inchaços em regiões como pescoço e axilas. A brotoeja pode coçar muito e, em casos graves, a pessoa fica cansada e passa mal.

Já a urticária colinérgica atinge mais adolescentes e adultos, que sentem coceira quando a temperatura do corpo aumenta e o organismo libera suor; a alergia, no caso, é a substâncias presentes na transpiração. Além da coceira, geralmente nas costas e no pescoço, as pessoas que têm urticária coligênica podem sentir náusea, tosse ou falta de ar, bem como inchaço na pele, nos lábios e na garganta. Em casos mais graves, a alergia pode levar ao choque anafilático.

Principais sintomas

A alergia ao calor pode acometer pessoas de qualquer idade, mas é mais comum em bebês, crianças, idosos e pessoas acamadas. Os principais sintomas são:

  • Coceira;
  • Inchaço;
  • Placas vermelhas na pele;
  • Brotoejas nas regiões que mais transpiram

Quando a pessoa alérgica é exposta longamente ao sol, por exemplo, também podem aparecer náuseas, diarreia, vômito, dificuldade de respirar e cansaço excessivo.

Quais são os gatilhos da alergia ao calor?

sintomas de alergia ao calor

Como qualquer alergia, a reação ao calor tem forte lastro hereditário. Os gatilhos, é claro, têm relação direta com exposição a temperaturas mais altas.

Essas causas podem envolver, por exemplo:

  • Exercícios físicos;
  • Banho quente;
  • Alimentos quentes ou picantes;
  • Estresse

Na maioria dos casos, as reações acontecem em até uma hora após a exposição da pessoa ao fator de gatilho.

É possível evitar as crises relacionadas a essa alergia?

Quando as glândulas sudoríparas ou os poros ficam obstruídos, o suor fica preso sob a pele. A inflamação pode criar uma sensação de coceira ou queimação, mas erupções cutâneas nem sempre se manifestam com esses sintomas.

Para evitar os sintomas, portanto, é importante evitar ambientes extremamente quentes. É recomendável usar roupas largas e desodorante antitranspirante.

Como tratar a alergia

A maior parte das medidas indicadas para mitigar efeitos da alergia ao calor é simples, e os efeitos da reação costumam sumir em até uma hora. No entanto, é vital que um médico acompanhe e indique o tratamento adequado.

Alguns casos demandam tratamento para dessensibilizar a pele, mas também há pessoas que precisam de anti-histamínico e anti-inflamatório. É importante lembrar que as reações advindas da alergia ao calor podem levar à morte em casos mais extremos.

A alergia do calor não é uma condição rara, embora muitas pessoas a desconheçam. Embora a maior parte das ações seja simples, o apoio de um médico é importante para ajudar as pessoas a entenderem como lidar com a condição e evitar qualquer tipo de piora.

Com o correto diagnóstico e tratamento é possível ter ganho na melhoria da qualidade de vida. Na Policlínica Botafogo contamos com tratamento, vacinas para alergias e uma equipe médica especializada para monitorar os avanços do seu quadro clínico. Agende uma consulta.

Comentários

Deixe seu comentário

Nossos comentários são respondidos pelo Dr. André Aguiar Gauderer, alergista e imunologista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.