Alergia no rosto – como tratar

9 jul, 2022 | Dr. André Aguiar Gauderer | No Comments

Alergia no rosto – como tratar

Alergia no rosto

Qualquer alergia no rosto tende a ser preocupante e gerar uma série de dúvidas. Afinal, o que fazer com alergia no rosto? Vamos entender um pouco mais sobre essa reação e como tratar para evitar que os problemas sejam persistentes?

Antes de seguir a conversa, portanto, é importante explicar o que é a tal alergia no rosto. Essa reação se caracteriza por vermelhidão, coceira e inchaço na pele e pode acontecer por diversas razões. Essa variação de gatilhos também influencia no tratamento e nas consequências.

Sumário

De onde vem a alergia

Alergias são normalmente relacionadas a fatores hereditários, e os sintomas que nos ajudam a identificar essas condições são reações do corpo quando essa genética entra em contato com gatilhos específicos. Entre os alérgenos mais comuns estão o pó, o pólen, medicamentos, alimentos e mudança de tempo.

Quase tudo tem potencial para ser alérgeno em contato com organismos específicos. Por isso, também existem “níveis” diferentes para a alergia.

Sintomas da alergia no rosto

A lista de sintomas depende muito do tipo de alergia, mas existem alguns que são mais comuns. Portanto, identificá-los pode ajudar a saber se o que acontece no rosto é uma reação ou precisa ser investigado de outra forma.

Os sintomas mais comuns de alergia no rosto são:

  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Caroços brancos e vermelhos na pele;
  • Hipersensibilidade;
  • Descamação

É sempre importante lembrar que os sintomas mais frequentes são apenas uma lista, mas não um convite ao autodiagnóstico. Procure um médico para fazer os testes corretos e entender qual tipo de alergia. Isso é vital para direcionar o tratamento.

Tipos de alergia no rosto

A alergia no rosto pode se manifestar de diferentes maneiras e pode ter diversos gatilhos. Então, é importante entender quais são esses tipos. Basicamente, a reação pode ser:

  • Urticária: lesão avermelhada, que aparece em placas e com relevo, provocando coceira. Pode ser desencadeada por medicamentos, alimentos, picadas de inseto ou contato com substâncias como látex e tintas, por exemplo;
  • Angioedema: tem a mesma origem da urticária, mas é mais grave porque atinge as camadas mais profundas da pele e as mucosas. Pode provocar inchaço de lábios, língua, olhos e vias respiratórias;
  • Dermatite de contato: é uma forma de irritação da pele causada pelo contato com substâncias específicas. Além disso, essa alergia pode ser dividida entre dermatite de contato irritativa ou dermatite de contato por sensibilização;
  • Dermatite atópica ou eczema atópico: muito comum em crianças, surge em áreas de dobras, como a parte de trás dos joelhos, pescoço, nos cotovelos e no rosto;
  • Alergia nervosa: nome de alguns quadros de dermatite que acabam piorando em momentos de estresse ou problemas emocionais, como ansiedade e depressão. É caracterizada por lesões do tipo eczema;
  • Alergia ao sol: o sistema imunológico reage formando bolinhas vermelhas na pele, que podem causar coceira. A alergia ao sol é mais comum em regiões muito visíveis, como os braços, mãos, colo e rosto.

Existe alguma forma de prevenção?

Para evitar que a alergia no rosto se manifeste ou mesmo mitigar seus sintomas, um dos caminhos é manter a pele sempre hidratada. Evite banhos excessivamente quentes e tente usar sabonetes adequados ao seu tipo cutâneo.

Além disso, hábitos alimentares podem ajudar. Beba muita água e tome cuidado com alimentos – alguns deles podem ser gatilhos para crises ou contribuir para que a pele fique menos hidratada, por exemplo.

Como tratar a alergia

Além do desconforto estético, a alergia no rosto pode ser incômoda e dolorosa. Portanto, é importante escolher produtos que acalmem a pele. Hidratantes que equilibrem a flora bacteriana com substâncias prebióticas são grandes aliados, assim como a água termal.

Hábitos diários também fazem diferença para quem está sofrendo com a alergia na pele do rosto. Hidrate a pele, remova filtro solar e maquiagem antes de dormir e evite calor excessivo no rosto.

Entretanto, em casos mais graves é indicado o uso de corticoides tópicos ou orais. Existem dermocosméticos que podem complementar essa ação, e por isso é tão importante consultar um especialista.

Alergia no rosto tem cura?

Como outros tipos de alergia, não existe uma forma de fazer com que a alergia no rosto desapareça. O ponto, nesse caso, é mitigar os efeitos e evitar que as crises sejam graves. Além disso, identificar os gatilhos específicos pode ajudar as pessoas a saberem como lidar com cada crise.

O mais importante, portanto, é ter um apoio especializado e entender como lidar com a sua alergia. O caminho mais eficiente ainda é evitar os gatilhos – ou então reduzir o contato com eles.

Com o correto diagnóstico e tratamento é possível ter ganho na melhoria da qualidade de vida. Na Policlínica Botafogo contamos com tratamento, vacinas para alergias e uma equipe médica especializada para monitorar os avanços do seu quadro clínico. Agende uma consulta.

Comentários

Deixe seu comentário

Nossos comentários são respondidos pelo Dr. André Aguiar Gauderer, alergista e imunologista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.