O que é a alergia medicamentosa

25 jun, 2022 | Dr. André Aguiar Gauderer | No Comments

O que é a alergia medicamentosa

Alergia medicamentosa

A alergia medicamentosa é uma condição que afeta pessoas com alergia a algum remédio ou um de seus componentes. Nesses casos, ao ingerir a droga o sistema imunológico reage automaticamente, gerando reações diferentes dos efeitos colaterais.

Sumário

Efeito colateral ou alergia, como identificar?

Para diferenciar o efeito colateral da alergia medicamentosa basta observar que, o efeito colateral pode ocorrer em qualquer pessoa que esteja tomando um fármaco e, neste caso, normalmente não envolve o sistema imunológico. Quando se trata de alergia a medicamentos, a condição afeta apenas algumas pessoas, envolve o sistema imunológico e sempre causa efeitos negativos. No entanto, uma pessoa sozinha não terá segurança para saber se é somente um efeito colateral ou se é uma alergia. Para um correto diagnóstico, tratamento e melhora no quadro, um médico alergista deve ser consultado.

Sintomas da alergia medicamentosa

A alergia medicamentosa pode variar de casos leves até os mais graves. Quando leves, os sintomas podem ocorrer horas, dias ou semanas após usar o medicamento, enquanto nos casos mais agravados, sintomas aparecem dentro de uma hora aproximadamente, ou seja, momentos após a primeira ingestão da droga. Ambos os casos podem acontecer com fármacos em forma líquida, pílula ou injetável.

Durante uma reação alérgica leve, pode haver um ou mais dos seguintes indícios:

  • Erupção cutânea;
  • Urticária;
  • Coceira na pele ou olhos;
  • Febre;
  • Dores nas articulações ou inchaço;
  • Gânglios linfáticos sensíveis.

As situações graves são chamadas Anafilaxia (reação rara e com risco de vida que causa a disfunção generalizada dos sistemas do corpo). Neste caso os sintomas podem incluir:

  • Pressão nas vias aéreas e garganta, causando dificuldade ao respirar;
  • Náuseas e cólicas abdominais;
  • Vômito e diarreia;
  • Tonturas;
  • Queda na pressão arterial;
  • Perda de consciência.

Segundo a Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), cerca de 14 e 16 milhões de brasileiros têm alergia medicamentosa.

Remédios que mais causam alergias

alergia medicamentosa

Certos medicamentos são mais propensos a produzir reações alérgicas que outros. Os mais comuns são:

• Antibióticos, como a Penicilina;

• Aspirina e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, como o Ibuprofeno;

• Anticonvulsivantes;

• Terapia com anticorpos monoclonais (proteínas produzidas em laboratório);

• Quimioterapia;

Diagnóstico e tratamento

Para o diagnóstico, um médico alergista é a pessoa mais indicada. Algumas informações são relevantes, como:

• Quando os sintomas começaram;

• Uma descrição dos seus sintomas;

• Quanto tempo os sintomas duraram;

• Quais outros medicamentos foram tomados durante este período, incluindo medicamentos de venda livre.

Se o especialista identificar suspeita de alergia a um antibiótico, como a penicilina, ele pode solicitar um teste cutâneo para confirmar.

Vale lembrar que na Policlínica de Botafogo você pode fazer testes para alergias e tratamento para melhoria da qualidade de vida.

Fatores de risco e prevenção

Qualquer pessoa pode ter reação alérgica a um medicamento, porém, alguns fatores podem aumentar esse risco, por exemplo:

  • Histórico de outras alergias, como alergia alimentar ou febre do feno (alergia ao pólen de certas plantas);
  • Histórico pessoal ou familiar de alergia a medicamentos;
  • Altas doses, uso repetitivo ou uso prolongado de algum remédio;
  • Certas doenças comumente associadas a reações alérgicas de medicamentos, como infecção por HIV ou vírus Epstein-Barr.

Se você tem alergia a medicamentos, a melhor prevenção é evitar o medicamento causador. Além disso, lembre-se de informar ao seu dentista e médico geral sobre a alergia.

O que fazer em casos de alergia medicamentosa?

Se há suspeitas de alergia medicamentosa, informe seu médico antes de iniciar qualquer tratamento, atendimento odontológico ou algum procedimento cirúrgico. Em casos de emergência, interrompa o uso do remédio causador da alergia e procure um médico. Para um correto diagnóstico, tratamento e melhora na qualidade de vida agende uma consulta no Serviço de Alergia e Imunologia da Policlínica Botafogo.

Comentários

Deixe seu comentário

Nossos comentários são respondidos pelo Dr. André Aguiar Gauderer, alergista e imunologista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.