Sinusite

O que é sinusite?

O nome mais correto é rinossinusite. É uma inflamação que atinge a mucosa do nariz (rinite) e dos seios da face (sinusite). Essa inflamação pode ser devido a uma infecção bacteriana, viral, fúngica ou quadro alérgico.

Costuma-se dividir em 2 tipos

Sinusite aguda, quando os sintomas têm menos de 12 semanas

Sinusite crônica quando os sintomas têm mais de 12 semanas

O que causa a sinusite?

Podem ser vários fatores. A principal causa da sinusite aguda é a complicação de um resfriado ou gripe. Até 2% dos resfriados evoluem para sinusites. Durante um resfriado a mucosa nasal fica inflamada e inchada o que leva a acumulo de secreção nos seios da face e eventualmente proliferação de bactérias nessas secreções evoluindo para sinusite.

A sinusite alérgica acontece no paciente que tem rinite alérgica e a inflamação da mucosa nasal pela alergia pode obstruir as saídas de drenagem dos seios da face levando a dor facial e sensação de pressão na face. Nesse caso tem que tratar a alergia e não é preciso fazer uso de antibióticos. Porem, eventualmente, esse paciente também pode evoluir com infecção bacteriana secundaria e pode ser preciso uso de antibióticos.

A sinusite por fungos é mais rara, acontecendo geralmente em pacientes com deficiências imunológicas ou então em pacientes com sinusite crônica de longa, estando então associada a sinusite bacteriana.

Alguns fatores como poeira, mudanças bruscas de temperatura, cheiros fortes, mofo e pelos de animais podem desencadear alergias e são fatores predisponentes da sinusite alérgica.

Além disso alterações anatômicas como aumento da adenoide (carne no nariz), desvio septal, pólipos nasais e inalação de produtos químicos também podem desencadear sinusite bacterina
Com menor frequência, infecções e cirurgias dentárias podem causar sinusite maxilar. Tumores nasais e doenças que acometem a mucosa nasal também podem levar a sinusite.

Quais os sintomas de sinusite?

A sinusite aguda tem sintomas mais evidentes:

  • Obstrução nasal,
  • Secreção espessa saindo pelo nariz e também por trás do nariz em direção a garganta e com isso levando a tosse que costuma piorar a noite ao deitar
  • Perda do olfato e paladar por obstruir a região do nariz responsável pelo olfato.
  • Dor e pressão facial
  • Dor em arcada dentária superior
  • Dor e pressão em ouvidos
  • Hálito ruim e odor ruim saindo do nariz

A sinusite crônica pode ter os mesmos sintomas porém mais discretos e obrigatoriamente por mais de 12 semanas. Tosse por secreção pós nasal as vezes é o único sintoma.

Qual a diferença de rinite e sinusite?

A rinite é a inflamação da mucosa do nariz e não acomete os seios da face. Na maioria das vezes é causada por infecção viral, um resfriado ou gripe. Pode ser também devido a quadro alérgico, a rinite alérgica. Os sintomas são coceira, espirros, nariz entupido e coriza.

A sinusite geralmente é uma complicação da rinite inicial. Nesse caso já há acometimento dos seios da face e os sintomas evoluem com dor e pressão na face, dor na arcada dentária superior devido ao contato com a raiz dos dentes e outros sintomas já descritos

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico e clínico, ou seja, apenas com a história do paciente colhida pelo médio junto com o exame físico ambulatorial já é possível fazer o diagnóstico na maioria das vezes.

Alguns exames, porém, podem ajudar e muito a confirmar o diagnóstico ou então ajudam a diagnosticar complicações de sinusite ou alterações que podem favorecer novos episódios de sinusite.

Endoscopia nasal: Feito no ambulatório pelo otorrino, nesse exame uma microcâmera, flexível ou rígida, é introduzida no nariz do paciente para avaliar com imagens ao vivo o aspecto na anatomia nasal. Pode-se ver a secreção purulenta drenando dos seios paranasais confirmando assim o diagnóstico. Ajuda também a avaliar alterações anatômicas como hipertrofia de adenoide (carne no nariz), desvio septal, pólipos nasais, hipertrofia de corneto e outras alterações que podem favorecer a quadros de repetição e merecem ser tratados.

Exames de imagem: A tomografia computadorizada é o principal exame de imagem solicitado para confirmar o diagnóstico de sinusite crônica. Também é solicitada para avaliar complicações da sinusite, variações anatômicas nasais, tumores etc. A ressonância magnética raramente é solicitada, geralmente quando se pensa em algum diagnóstico diferencial para a sinusite. RX seios da face em geral não deve ser solicitado pois traz pouca informação relevante além do que se consegue com o exame físico ambulatorial.

Exames de alergia: Quando se suspeita de sinusite alérgica ou para avaliar se alergia é um dos fatores desencadeadores das sinusites de repetição deve-se solicitar os testes alérgicos. Esses podem ser feitos em consultório (prick teste) ou pelo exame de sangue (IgE específica).

Exames de imunidade: Em alguns casos em que se suspeita de deficiência imunológica como causa de sinusites de repetição pode-se solicitar os exames para imunidade pelo sangue. Imunoglobulinas, sistema complemento, imunidade inata e adaptativa, tudo isso pode ser pesquisado por exames laboratoriais para diagnosticar a causa dessas infecções de repetição.

Sinusite tem cura? Como se trata?

Claro que tem cura.
O tratamento geralmente é clínico, com remédios e eventualmente cirúrgico.

  • Lavagem nasal com soro fisiológico. Importante para limpar o nariz da secreção purulenta e células do processo inflamatório e devolver ao nariz sua capacidade natural de filtro.
  • Corticoide nasal. Uma medicação anti-inflamatória, ou seja, melhora a inflamação nasal decorrente da sinusite. São medicamentos seguros quando bem indicados, com pouca absorção sistêmica e sem efeitos colaterais importantes.
  • Descongestionantes nasais. Usados por via oral ou tópica aliviam os sintomas de obstrução nasal. Não devem ser usados por longos períodos pois a forma tópica nasal pode levar a efeito rebote e o paciente ficar “viciado” no medicamento.
  • Antibióticos. São a principal medicação para os casos de sinusite bacteriana. Geralmente o tratamento é por um período prolongado, de 14 a 21 dias.
  • Cirurgia. Reservada para casos específicos. Quando o paciente evoluiu com complicações ou quando em uma sinusite crônica não se tem melhora com o tratamento clínico convencional. Com a cirurgia é possível corrigir fatores anatômicos como retirar um desvio septal, diminuir uma hipertrofia de corneto, remover adenoide e pólipos nasais além de acessar os seios da face fazendo sua limpeza e aumentar o orifício de drenagem desses seios.

Como prevenir a sinusite?



Deve-se evitar os fatores desencadeantes.

  • Se você for alérgico evite as substâncias que te causam alergia como ácaros de poeira doméstica, fungos, pelos de animais, odores fortes etc
  • Evite gripes e resfriados, eles podem evoluir para sinusite. Para a gripe há vacina e deve ser anual. Para evitar resfriados evite contato com pessoas doentes e lave bem as mãos ao ter o contato com essas pessoas.
  • Trate gripes e resfriados. A principal causa de sinusite aguda bacteriana e a evolução de um resfriado mal curado. Ao se resfriar, trate adequadamente. Repouso, boa alimentação, lavagem nasal com soro fisiológico e siga as orientações de seu médico.
  • Fortaleça a imunidade. Boa alimentação, atividades físicas regulares, diminuir o nível de stress, ingerir líquidos em abundância e lavar o nariz com soro fisiológico ajudam.