antialergicos para rinite alérica
Antialérgico ou anti-histamínico. Saiba tudo sobre eles.
23 de fevereiro de 2021
alergia a gato
Desvendando os Segredos da Alergia a Gato
15 de junho de 2021

Saiba Tudo sobre Alergia a Mosquito

alergia a picada de mosquito

 

Moramos em um país de clima tropical e com abundância de mosquitos. Infelizmente, no Brasil, alergia a picada de mosquito é extremamente comum, principalmente para quem mora em áreas rurais ou perto de parques e água parada.

Nesse artigo vamos discutir o que é alergia a mosquito, como diferenciar uma simples picada de mosquito de uma alergia a picada de mosquito, como evitar as picadas e como tratar alergia a mosquitos

As picadas de mosquito são aquelas bolinhas inchadas (pápulas) que aparecem após o inseto usar seu aparelho bucal para furar a nossa pele e sugar o sangue. Apenas os mosquitos fêmeas picam e se alimentam de sangue. A maioria dos mosquitos fêmeas não pode produzir ovos sem uma refeição de sangue.

A bolinha inchada em nossa pele não é causada pela mordida do mosquito em si, mas por uma reação do nosso sistema imunológico as proteínas que se encontram na saliva do mosquito. Apenas o Aedes aegypti tem mais de 11 proteínas em sua saliva que podem causar alergia a mosquito.

 

alergia a mosquito

alergia a mosquito

Na primeira vez que alguém é picado essa pessoa não desenvolve alergia a mosquito, pois o nosso sistema imunológico demora um tempo para desenvolver uma reação alérgica. Essa pessoa então praticamente não forma uma bolinha após a picada.

Após algumas picadas nosso sistema imunológico passa então a desenvolver uma alergia a picada de mosquito e começa a aparecer uma lesão grande (pápula), com bastante coceira e vermelhidão ao redor. Pode inclusive formar uma pequena bolha. Essa lesão pode demorar dias para desaparecer e deixar como sequela uma mancha mais branca ou mais escura na pele.

Após muitos anos de picadas, entre 2-20 anos, a pessoa pode se dessensibilizar e deixar de ter alergia a mosquito espontaneamente, sem nenhum tipo de tratamento. Por isso alergia a picada de mosquito é muito mais comum em crianças do que em adultos, pois esses já se dessensibilizaram.

Como diferenciar quem tem alergia a mosquito de quem não tem?

Uma picada normal gera uma pequena bolinha menor que 2 cm e com uma vermelhidão ao redor, que melhora em poucos dias.

Na alergia a picada de mosquito o tamanho da bolinha pode ser bem maior, chegando a 10 cm e demora muito mais para melhorar. Com frequência deixa uma mancha na pele onde foi a picada, mais branca ou escura do que era a pele. Pode também formar uma pequena bolha.

Como diagnosticar alergia a mosquito?

Geralmente o diagnostico é clínico, feito pelo alergista ou dermatologista apenas olhando para as lesões e associando a história contada pelo paciente. Ocasionalmente o alergista pode solicitar um teste alérgico de leitura imediata (prick teste) ou um exame de IgE especifico pelo sangue, embora o resultado não seja 100% confiável. Com frequência o paciente clinicamente tem alergia a mosquito e o exame vem negativo.

Quem tem mais chance de ter alergia a mosquito?

  • Crianças que já foram picadas e sensibilizadas porém ainda não tiveram tempo de desenvolver uma imunidade natural.
  • Pessoas novas naquele ambiente, turistas, que não foram sensibilizados ainda pelos mosquitos daquela região.
  • Alérgicos de um modo geral que já tem diagnosticado rinite, asma, dermatite atópica.

Qual o tratamento de alergia a picada de mosquitos?

  1. Evitar a picada

  2. Tratar a picada e suas complicações

  3. Dessensibilizar o paciente (imunoterapia)

Para evitar a picada de mosquito o primeiro passo é usar repelente.

repelentes alergia a mosquito

repelentes

No momento os repelentes mais usados no Brasil e com eficacia comprovada são:

  • Repelente a base de DEET: É o mais antigo dos repelentes e o mais usado. Desenvolvido para o exército americano em 1946 e liberado para o público em geral em 1957. Bastante seguro quando usado conforme o rotulo. Para crianças usar em concentrações menores que 20%. É encontrado no Brasil em concentrações que variam de 15-30% e dura até 8 hs. Nos EUA a concentração pode chegar a 98,1%. No Brasil, segundo a ANVISA esta liberado para crianças maiores de 2 anos e nos EUA a orientação da academia americana de pediatria é acima de 2 meses. Exemplo off repelente
  • Repelente a base de Icaridina: Extremamente seguro e eficaz. Desenvolvido na deca de 80. Concentrações de 20-25% e liberado a partir de 6 meses no Brasil. Dura até 10 hs. O mais indicado para pacientes alérgicos. Exemplo exposis
  • IR 3535 merk: Poucos repelentes no mercado utilizam esse produto porém também é muito eficaz e seguro. Já era usado na Europa há cerca de 20 anos. Concentrações de 20-35% e dura até 6 hs. Liberado para crianças acima de 6 meses.

Quando usados conforme a indicação e reaplicando conforme orientado no rótulo todos esses repelentes são eficazes e seguros. O problema é que geralmente esquecemos de reaplicar.

Outro dispositivo que funciona muito bem para evitar as picadas em quem tem alergia a mosquito são os repelentes elétricos

repelentes elétricos alergia a mosquito

repelentes elétricos

Eles são dispositivos que conectados a tomada evaporam um produto chamado piretroide, lançado em 1980. Os chineses já usavam uma versão natural desse produto há 2.500 anos, utilizando pó de folhas secas de crisântemo.

Devem ser usados para uma área de até 10mts. Ele atua no sistema nervoso do mosquito causando intoxicação.

A maioria dos produtos naturais vendidos apresentam um desempenho muito fraco ou duram muito pouco. Citronela, óleo de cedro, óleo de citrino e outros óleos não costumam funcionar bem. Óleo de eucalipto limão sintético é uma exceção porém não é vendido no Brasil.

Dispositivos anti-mosquitos ultrassônicos não funcionam. Diversos estudos já foram feitos e comprovam isso.

Também é muito importante evitar água parada nas proximidades de casa, usar telas mosquiteiras e repelentes elétricos nos cômodos da casa. Se possível usar camisa de manga compridas e calças. Os mosquitos picam mais ao amanhecer e entardecer, evite locais expostos nesses períodos.

Tratando a lesão da alergia a mosquitos

Se você já foi mordido agora é hora de tratar a lesão. Não coce pois isso pode machucar a pele e servir de porta de entrada para alguma bactéria, principalmente se sua mão estiver suja. Isso pode levar a uma infecção secundaria por bactérias da pele como estafilococos aureus e evoluir para um impetigo ou até mesmo para celulite.

alergia a mosquito grave

alergia a mosquito grave

Uma compressa gelada pode acalmar a coceira

Passar pomada de corticoide tópico sobre a lesão também alivia o inchaço e coceira

Caso tenha evoluído para impetigo, ou seja, esta saindo uma secreção da lesão, deve ser aplicado também pomada com antibiótico. No caso de celulite até antibiótico oral deve ser administrado.

O uso de antialérgicos orais pode ajudar muito. De preferência aos mais modernos de segunda e terceira geração e que não dão sono, como a fexofenadina, levocetirizina e bilastina.

A manchas que ficam na pele por meses após as picadas são sempre uma grande fator de descontentamento para os pais. Podem ser mais claras ou mais escuras que o tom natural da pele e podem demorar muitos meses para melhorar. Geralmente a criança mesmo não está incomodada porém os pais estão muito!!

Na maioria das vezes não é preciso fazer nada, com o tempo as manchas vão sumir espontaneamente. A criança cresce, a pele se estica e descama e naturalmente a mancha some mesmo sem tratamento O mais importante e evitar que novas manchas apareçam, ou seja, evitar novas picadas.

Dessensibilização (tratamento com vacina)

Alergia a mosquito nada mais é do que alergia a proteínas da saliva do mosquito. Se você deixar ser picado por alguns anos (2 a 20 anos) seu sistema imunológico naturalmente vai parar de reagir a essas proteínas e você vai deixar de ter alergia a picada de mosquito. Isso se chama dessensibilização. O problema é esperar tanto tempo para isso acontecer…

Por isso os alergistas costumam indicar a imunoterapia ou vacina de alergia para picada de mosquito.

A imunoterapia especifica para alergia a mosquito consiste em aplicar no paciente pequenas quantidades da saliva de mosquitos, em doses progressivamente maiores, acelerando esse processo de dessensibilização. O que pode demorar até 20 anos conseguimos na maioria das vezes em 2-3 anos, sem a necessidade das picadas.

A imunoterapia para alergia a mosquito consiste e 2 fases:

1 fase. Indução. Doses progressivamente maiores da saliva do mosquito são aplicadas, em intervalos geralmente pequenos e progressivamente vão ficando maiores. Por exemplo pode-se aplicar de 7/7 dias nas primeiras semanas, depois de 10/10 dias e 20/20 dias até 30/30 dias.

A dose é aumentada bem devagar para minimizar a chance de uma reação alérgica a própria vacina

2 fase. Manutenção. Nessa fase já estamos com uma dose alta sendo aplicada no paciente com alergia a mosquito. Apenas mantemos essa dose mais alta por um período mais prolongado, geralmente de 30/30 dias por até 3 anos, dependendo da resposta do paciente ao tratamento.

Como visto até aqui a alergia a mosquito é um problema muito comum no Brasil, causando grande angustia aos pais e seus filhos. A a maior parte das pessoas vai se dessensibilizar naturalmente com o passar dos anos, ou vai conseguir evitar as picadas com o uso de repelentes, mas para aqueles casos de alergia a picada de mosquito mais severa a dessensibilização com vacinas de alergia pode ser uma boa opção

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário/duvida abaixo que responderei com prazer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>