lista medicamentos alergia anti-inflamatórios
Alergia a dipirona e anti-inflamatórios
21 de junho de 2020

Antialérgico ou anti-histamínico. Saiba tudo sobre eles.

 

Os Antialérgicos ou anti-histamínicos são os medicamentos mais usados para tratar as doencas alérgicas.

São geralmente usados no tratamento da rinite alérgica, sinusite, dermatites, urticária, conjuntivite alérgica e outras doenças. Leia o artigo até o final, saiba tudo sobre os antialérgicos e aprenda a controlar melhor suas alergias.

Como agem os antialergicos ou anti-histamínicos?

Quando seu corpo é exposto a substâncias que você tem alergia (alérgenos), algumas células podem liberar histamina. A histamina se liga às células do corpo e fazem com que elas inchem e vazem líquido. Isso pode causar coceira, espirros, coriza e olhos lacrimejantes no caso da rinite alérgica. No caso da urticária a histamina provoca as placas e inchaços (angioedema). Os antialérgicos são medicamentos que impedem a liberação da histamina e consequentimente diminuem esses sintomas. Por isso  são chamados tambem de anti-histamínicos, por inibirem a liberação de histamina.

 

Antialérgico  =  Anti-histamínico

 

Os antialérgicos são divididos em 2 grupos. Os de primeira geração, mais antigos e os de segunda e terceira geração, mais modernos.

 

Os antialérgicos de primeira geração são o grupo mais antigo. Eles são sedativos, o que significa que é provável que deixem você sonolento depois de usá-los. Deve-se evitar dirigir ou operar maquinas pesadas após o uso. Eles também não duram tanto em seu organismo, portanto, requerem uma dosagem mais frequente do que as gerações mais recentes.

 

São exemplos de antialérgicos de primeira geração:

  • Hidroxizina. – Hixizine
  • Clorfeniramina – Polaramine, Histamin
  • Prometazina – Fenergan
  • Difenidramina – Dramim. Não costuma ser usado em alergias mas para tratamento de nauseas/vômitos.

Os antialérgicos mais novos de segunda e terceira geração  foram desenvolvidos para direcionar sua ação em receptores mais específicos. Isso ajuda a diminuir os efeitos colaterais, incluindo sonolência. Além disso, esses medicamentos atuam por mais tempo em seu corpo, portanto, você precisa de menos doses, geralmente se usa 1x/dia.

São exemplos de antialérgicos de segunda e terceira geração:

  • LoratadinaClaritin
  • Cetirizina – Zyrtec
  • Desloratdina – Desalex, Esalerg
  • Levocetirizina – Zina, Zyxen
  • Bilastina – Alektos
  • FexofenadinaAllegra, Fexodane
  • Rupatadina – Rupafin
  • Ebastina – Ebastel

Importante lembrar que o  mesmo medicamento pode ser encontrado com vários nomes comerciais diferentes e os exemplos acima são apenas uma pequena amostra dos nomes comerciais disponíveis no mercado brasileiro.

O antialérgico tambem pode ser encontrados em combinação com outras drogas, para poder tratar vários sintomas diferentes ao mesmo tempo.

Para desintupir melhor o nariz é comum associar um antialérgico com um vasoconstrictor sistêmico como a pseudoefedrina. Coloca-se um D depois do nome do medicamento

  • Allegra D
  • Claritin D
  • Esalerg D

Nessse caso alem do efeito antialérgico do medicamento conseguimos desintupir bem melhor o nariz do paciente com rinite. O problema é que passamos a ter os possíveis efeitos colaterais da pseudoefedrina como insônia, nervosismo, agitação, tremor, taquicardia, palpitação, arritimia perda de fome, dificuldade para urinar etc. 

Outro problema é que os antialérgicos com D (que contem pseudoefedrina) são vendidos apenas com receita médica comum. Você sabe o porque? Eles podem ser usados para fazer metanfetamina, uma droga altamente viciante e de uso proibido. Alguem ai viu Breaking Bad? 

 

Um antialérgico que contem pseudoefedrina não é mais forte do que um que não contem. Ele apenas desentope melhor o nariz. Então se sua queixa de obstrução nasal não é tão importante assim use um anti-histamínico comum que vai sair mais barato e com menos efeito adverso.

 

Qual antialérgico gestante pode tomar?

 

gestante com rinite alérgica

Em geral, não há evidências que sugiram que os anti-histamínicos causem má formação congênita nas crianças. Entre os de primeira geração, difenidramina e clorfeniramina têm a maioria das evidências que apóiam sua segurança na gravidez, e ambos são categorizados como medicamentos da classe B da gravidez, estão entre os mais seguros. Os anti-histamínicos da segunda geração com classe B da gravidez incluem cetirizina, loratadina e bilastina.

Qual antialérgico posso tomar amamentando?


Nenhum efeito prejudicial foi observado com o uso materno de anti-histamínicos. Essas drogas não parecem afetar o suprimento de leite. Poucos anti-histamínicos são excretados no leite materno, confirmando ainda mais a segurança do uso durante a lactação. Como na gestante, costuma-se prescrever cetirizina, loratadina ou bilastina.

 

O que acontece se tomar muito antialérgico?

Os anti-histamínicos sedativos são inespecíficos em suas ações e costumam ter efeitos anticolinérgicos marcantes. As características de toxicidade tendem a se desenvolver dentro de 6 horas após a sobredosagem e pode incluir:

  • Taquicardia
  • Alterações  da pressão arterial
  • Boca seca
  • Agitação
  • Alterações psiquiátricas 
  • Raramente, convulsões ou arritmias.
  • A sedação é exacerbada pela co-ingestão de outros depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool.

Os anti-histamínicos não sedativos de segunda e terceira geração são menos tóxicos na sobredosagem, mas podem causar

  • Taquicardia
  • Sonolência
  • Distúrbios gastrointestinais
  • Cefaleia.

Qual o melhor antialérgico?

antialérgico

Os melhores antialérgicos são os de segunda e terceira geração, pois não costumam causar sonolência e podem ser administrados apenas 1x/dia. Para o tratamento de rinite, conjuntivite alérgica e urticária esses são os medicamentos de escolha. Ocasionalmente queremos dar um pouco de sono no paciente, principalmente se ele já se encontra em casa e não vai sair e esta se coçando muito. Ai podemos usar um antialérgico de primeira geraçao, sedante.

Dentre os de segunda e terceira geração não é possível escolher o melhor. Isso varia de paciente para paciente e da experiência do médico com aquele medicamento. 

 

Como tomar antialérgico?

Na bula dos antialérgicos de segunda e terceira geração a recomendação é de 1 comprimido ao dia para adultos e no caso de crianças a dose em mililitros depende da idade. Para o tratamento de rinite alérgica e conjuntivite alérgica geralmente essa dose é suficiente. No caso de urticária pode-se usar uma dose aumentada de até 4x a dose convencional, isso é, 4 comprimidos ao dias. Diversos estudos têm mostrado a segurança dessa dose aumentada, principalmente com o uso dos antialérgicos mais modernos. 

O anti-histamínico pode ser tomado em caso de uma crise, quando você entra em contato com poeira, mofo, fumaça de cigarro e os sintomas de alergia iniciam, e pode-se usar por alguns dias até os sintomas irem embora por completo.

Pode-se usar tambem antes de se expor ao alérgeno, quando você já sabe que vai ter a crise. Por exemplo, se voce sempre tem crises de alergia quando vai para a casa daquele parente que tem cachorro e fuma, você pode tomar o antialérgico antes de ir para prevenir a crise. Quando você toma o antialérgico antes mesmo de ter a crise o efeito é ainda melhor, o problema é que geralmente não sabemos quando a crise vem.

O antialérgico não deve ser o único tratamento para sua alérgia

O antialérgico é uma medicação para alívio imediato dos sintomas, ele não cura a causa do probema.

Se você sofre de rinite alérgica tem que investigar o que te causa a crise de alergia através de exames como os testes alérgicos (prick teste)  e tentar tratar a causa, seja evitando o contato fazendo um controle de ambiente adequado ou fazendo a imunoterapia (tratamento com vacinas) se for indicado. Outros medicamentos como corticoides nasais, lavagem nasal com soro fisiológio e antileucotrienos tambem podem estar indicados.

No caso da conjuntivite alérgica pode estar indicado o tratamento tópico com soluções lubrificantes, colírios de corticoide e tambem existem os antialérgicos tópicos oftalmológicos. O controle de ambiente e imunoterapia tambem são indicados nesses casos.

Se for o caso de urticária devemos tentar descobrir qual a causa. Pode ser uma alérgia alimentar, alergia a medicamentos, alergia ao frio, calor, um quadro autoimune e outras causas. Uma boa investigação diagnóstica geralmente mata a charada e as vezes consegue-se suspender o uso do antialérgico. Em casos graves pode-se precisar usar tambem outros medicamentos como imunossupressores ou imunobiologios como o omalizumabe (Xolair).

Espero que tenham tirado suas dúvidas e caso precisem de alguma ajuda podem escrever nos comentários abaixo. 

 

Doctoralia.com.br

 

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>