Alergia ao frio: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

31 maio, 2022 | Dr. André Aguiar Gauderer | One Comment

Alergia ao frio: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

urticária ao frio

As alergias surgem quando o corpo tem uma reação adversa ao entrar em contato com uma substância ou situação. A alergia ao frio, também conhecida como urticária ao frio, acontece de forma semelhante, porém, o causador do problema é o frio ou um objeto com temperatura mais baixa.

alergia ao frio = urticária ao frio

Já ouviu falar sobre esta alergia? Saiba mais sobre o assunto incluindo sintomas, diagnóstico e tratamento.

O que é a alergia ao frio?

Alergia ao frio é o nome popular dado a reação alérgica a qualquer temperatura mais baixa. É muito comum no outono e no inverno, as épocas mais frias do ano, e consiste no aparecimento de placas avermelhadas na pele (urticária).

Suas causas estão relacionadas com a sensibilidade da pele a temperaturas mais baixas. Assim, quando o corpo entra em contato com o frio, com um objeto gelado ou a água fria, imediatamente surge uma reação. 

Por isso, a alergia também é tida como urticária induzida, já que os sintomas só aparecem quando a pessoa entra em contato com o causador da alergia.

Ninguém sabe ao  certo a causa da alergia ao frio. Algumas pessoas têm as células da pele muito sensíveis e que liberam histamina e outros mediadores quando em contato com o frio.

Ocasionalmente pode ser de origem genética ou adquirida. No primeiro caso os sintomas são observados ainda na infância. Na forma adquirida a urticária ao frio aparece como consequência de algo que sensibiliza a derme, como infecções e o uso de determinados medicamentos.

Quais são os principais sintomas da urticária ao frio?

Os sintomas variam e podem ser característicos de outras alergias, porém, os mais comuns da urticária ao frio envolvem:

alergia ao frio
Placa de urticária após contato com gelo
  • Placas ou inchaços vermelhos na pele;
  • Coceira intensa na pele;
  • Sensação de queimação na região afetada;
  • Inchaço e sensibilidade da área afetada;
  • Inchaço dos lábios ao entrar em contato com alimentos ou bebidas frias;
  • Dificuldade de respirar pelo inchaço na língua e garganta
  • Choque anafilático nos casos mais graves
Veja também  Alergia emocional: por que ela surge?

Os sintomas surgem imediatamente após o contato com o frio, em média até 5 minutos, mas duram por até 2 horas. Quando envolve um contato breve, em uma região específica, pode incomodar, mas não gera nada grave.

Agora, quando todo o corpo entra em contato com algo frio, ao nadar, por exemplo, se a pessoa tem alergia ao frio pode entrar em choque anafilático. Nesse caso os sintomas costumam ser mais fortes, sendo preciso buscar atendimento médico imediato.

Como é feito o diagnóstico da urticária ao frio?

O diagnóstico é realizado normalmente pelo alergista. Ao notar o aparecimento das placas avermelhadas, além da coceira, sempre que lida com temperaturas mais baixas o paciente busca ajuda médica e relata esta situação.

O médico, então, observa os sintomas e faz uma análise do histórico clínico do paciente. Além disso, também analisa seus hábitos de vida e avalia a região afetada pela urticária.

Também podem ser pedidos exames de sangue para descartar outras doenças com sintomas parecidos e sensibilidade ao frio, como hemoglobinúria paroxística ao frio, a geladura, dermatite atópica e a síndrome de Raynaud.

teste do cubo de gelo - Urticária por frio
teste do cubo de gelo

Um teste rápido, feito ainda no consultório, consiste em colocar uma pedra de gelo na pele do antebraço do paciente por 5 minutos.

Se, após a retirada do gelo, os sintomas surgirem entre 5 e 30 minutos depois é possível afirmar a existência da alergia ao frio.

Como tratar alergia ao frio?

A base do tratamento é o uso de antialérgicos (anti-histamínicos)

Esses medicamentos inibem a ação da histamina, principal mediador químico responsável pela reação alérgica da urticária.

De preferência pelo uso de antialérgicos de segunda e terceira geração, que não dão sono.

  • Fexofenadina (Allegra, Fexodane)
  • Bilastina (Alektos, Hisbila)
  • Desloratadina (Desalex, Esalerg)
  • Levocetirizina (Zina, Zyxen)
  • Rupatadina (Rupafin)
  • Ebastina (Ebastel) 
Veja também  Alergia alimentar: o que você precisa saber

Você pode tomar esses medicamentos quando estiver em crise, porém é melhor ainda se você tomar antes da crise.

Se você sabe que vai se expor ao frio, tome um antialérgico 1 hora antes para se prevenir

Tem como prevenir?

Sim, tem como prevenir e a prevenção será a grande aliada de quem lida com a alergia ao frio. Assim, as principais recomendações envolvem:

Evitar se expor ao frio

O simples ato de sair no frio pode desencadear uma crise alérgica. Assim, quem lida com a urticária ao frio precisa ter o dobro de cuidado. Manter-se longe de locais gelados e estar sempre bem agasalhado, para manter a temperatura do corpo estável.

Tomar banhos mornos

Não importa qual seja a estação do ano, para quem tem alergia ao frio o banho precisa ser sempre mais quentinho. Nos dias mais quentes aposte no banho morno, assim, não fica com calor e não desencadeia uma reação alérgica. Sem contar que, como a pele é mais sensível, o banho morno é mesmo o mais recomendado.

Procurar aquecer o corpo

O simples fato do corpo ficar gelado pode ser motivo para aparecerem os primeiros sintomas da urticária. Assim, é melhor manter o corpo sempre aquecido. Use roupas mais grossas, preferencialmente térmicas, e proteja todas as regiões. Também é válido se expor ao sol para evitar as crises.

Evitar locais gelados

Locais descampados, os corredores de frios e qualquer lugar com temperatura baixa não é recomendado para os alérgicos ao frio. Mantenha-se longe desses espaços e os evite ao máximo. No caso dos supermercados, vale deixar que outra pessoa se responsabilize pela compra dos frios e congelados.

Manter os espaços internos aquecidos

A casa e os espaços internos nos quais a pessoa convive precisam estar sempre com temperaturas mais quentes e agradáveis. No frio é válido apostar no aquecedor de ambientes. Já nos quartos, cortinas pesadas e cobertores ajudam a evitar que a alergia apareça.

Veja também  Tratamento para alergia ao trigo em Botafogo

Não consumir alimentos e bebidas frias

Alimentos e bebidas frias são proibidos para quem lida com esse tipo de alergia. Assim, eles não devem fazer parte do cardápio. O ideal, para evitar o inchaço na boca e um possível choque anafilático, é degustar as porções e líquidos em temperatura ambiente, nem quente, nem fria.

Ter cuidado com a água

Cachoeiras, rios, mar e piscinas podem ser um risco para quem tem alergia ao frio. Até porque, se o corpo todo entra em contato com algo gelado há o risco de queda de pressão, desmaio e até choque anafilático. O ideal é evitar esses locais e, caso deseje aproveitar alguma atividade na água, ir nos locais aquecidos, como a hidromassagem ou piscina com aquecimento.

Se você está apresentando sintomas de urticária ao frio e precisa de ajuda médica entre em contato com nossa equipe de alergistas. No Serviço de Alergia da Policlinica de Botafogo temos médicos alergistas especializados no tratamento de diversas formas de urticária e podemos te ajudar. 

Nosso serviço está localizado no Hospital Policlínica de Botafogo, no Rio de Janeiro. Aceitamos diversos convênios e podemos realizar todos os testes no própio hospital

Comentários

Deixe seu comentário

Nossos comentários são respondidos pelo Dr. André Aguiar Gauderer, alergista e imunologista

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de e-mail não será publicado.